05 junho 2015

TA ACABANDO, E AGORA?

Eu não preciso contar de novo que estou no último ano da faculdade de psicologia né?! Conto isso logo de cara, pois é uma informação essencial para entender esse post. 

Não, eu não vou ficar falando sobre mim, mas vou me usar como exemplo, como de costume já. 

Em meio as minhas atividades curriculares da faculdade eu estava desenvolvendo um projeto de Orientação Profissional para jovens que terminam o ensino médio neste ano e vivem a interminável dúvida do que fazer depois. 
O fato é que até o ensino médio é fácil porque não temos escolhas, o ensino fundamental e médio são de extrema importância, porém são impostos, não temos por onde nos perder. 
Quando terminamos essa etapa temos milhares de opções, entre elas estão continuar a estudar ou não e se sim... o que? 
Fiz diversas dinâmicas em meu projeto e convidei vários profissionais para conversar com os usuários dele, agora que encerrei essa atividade me deparei com a minha realidade: Eu também estou no momento de fazer essa escolha! A faculdade vai acabar, e agora? O que eu vou fazer no próximo ano? Parar ou continuar? 
O que eu acho mais engraçado é que quando estamos no meio do semestre totalmente atordoados com tantos trabalhos, relatórios, aulas e provas não queremos nem saber de nada, agora com algumas coisas já encerradas já consigo ter uma visão mais limpa e mesmo tendo um semestre inteiro pela frente ainda já consigo começar a organizar minhas ideias. 
Organizar minhas ideias significa que estou no momento de deixar de lado aquela coisa que preciso de um ano inteiro para descansar e perceber que somente as férias já são o suficiente ainda mais que será algo novo, tudo que é novo nos desperta maior interesse. 
Realizar esse projeto foi muito bom, pois ouvir os alunos e os profissionais me fizeram muito bem e acalmaram o meu coração, me fizeram acreditar mais em mim mesmo e na minha universidade, a calmaria nos deixa pensar, espero que esse projeto tenha tido pelo menos a metade do efeito que teve em mim nos "meus alunos"
A mensagem que eu quero passar é para não tomarem decisões precipitadas, é absolutamente normal sentir raiva, tristeza, alegria, ansiedade e todos os sentimentos que conhecemos (levando em conta que normal é simplesmente uma palavra cujo significado é a própria sociedade que atribui) para mim o anormal é não sentir, como não ter um turbilhão de sentimentos a flor da pele com o mundo explodindo ao seu redor? a verdade é que apenas nós mesmos sabemos dos nossos sentimentos, é por isso que para os outros é fácil enxergar o que temos ou não que fazer quando eles não sabem o que está acontecendo dentro de nós. 
O mesmo falo de nós (do nosso eu), como é mais fácil falar quem é o outro e o que o outro tem que fazer, mas a nossa vida parece tão sem solução, o que muda uma visão é saber o que tem dentro do nosso coração. 
Sou muito grata a minha faculdade que me ensinou em primeiro lugar um novo olhar para o mundo, um olhar puro, liberto de acusações e julgamentos, como é mais fácil olhar uma pessoa e simplesmente saber que ela pode ser exatamente como ela quiser, que os desejos devem ser respeitados, que amor é amor em qualquer ocasião, que cada sentimento deve ser sentido e que para cada pessoa a mesma situação tem significados diferentes, não é porque eu vejo de uma forma que todos deveriam ver assim também.


Nenhum comentário:

Postar um comentário

.