21 setembro 2015

LIVROS: DE VOLTA AOS QUINZE

Ontem não teve post no blog, sorry! E o motivo não foi despreparo ou falta de ideias, eu estava mesmo era muito ocupada terminando de ler "De Volta aos Quinze" da queridíssima Bruna Vieira

Eu havia passado pouco da metade do livro, mas ontem, não consegui desgrudar dele até terminar, o livro tem 222 páginas divididas em dez capítulos, o que torna cada capítulo meio comprido, mas nenhuma vez eu parei de ler por falta de entusiasmo, foi sempre porque aparecia algo que não poderia esperar. 

No final a sensação era: "Se não tem grana para viajar, compre um livro". Primeiro porque a ideia de idas e voltas do passado é incrível e depois porque no final eu realmente me senti em Paris, me senti mais próxima da Torre Eiffel do que em qualquer filme que já assisti e a história se passasse na França e concluí que isso ocorreu porque ela foi descrita com sentimentos e não com aparência física, foi mágico. 

E aliás, falando em magia, penso que essa seja a palavra certa para definir o livro. Um blog mágico, meu Deus! Senti vontade de correr e bisbilhotar meus antigos blogs da adolescência, mas ainda não fiz isso, talvez eu nem os encontre, quem sabe? Acho que eu tinha um blog quando eu era dona apenas de quinze anos, esse é o sonho de muitas mulheres, ter quinze anos com a cabeça de trinta, no meu caso 24, mas iria ser perfeito. 

É extremamente impossível não imaginar a carinha da Anita como se ela fosse a própria Bruna, para mim é, e quando ela descreve a roupa de Paris quando vai encontrar o Henrique pela primeira vez (pra ele) vestido vermelho, meia calça roxa e boina branca, com maquiagem leve, muito rímel e pouco delineador, é a Bruna, só pode!

Em alguns momentos senti a história bem próxima do último conto do primeiro livro dela "Depois dos Quinze", penso que ela deve ter tido uma história parecida bem próxima para se inspirar, mas desse vez o melhor amigo distante que vira o amor estava mesmo na Europa e ele não pareceu um canalha, veremos a continuação, que aliás, estou maluquinha para ler. 

Não que eu acredite nessas coisas, mas nos romances se encaixam certinho, eu me arrepiei quando o Henrique conta para Anita sobre o sonho esquisito e sobre ter visto ela no banco da praça e se sentar ao lado dela, estava muito envolvida com a história e antes mesmo de terminar de ler a frase já sabia que se tratava do tal velhinho que deu a ela ótimos conselhos que marcaram seu coração, quando o destino quer ele quer e ponto. E o mesmo velhinho na estação então? Magia, só pode e outro dia em um certo filme aprendi que tudo que precisamos para sermos felizes é de coragem, gentileza e um pouco de magia, pronto!!!

Preciso urgente saber o que aconteceu com o Joel, cheguei a pensar que a Anita bobalhona estava deixando escapar de novo, ela adora insistir na ideia de melhor amigo e ceder ao amor somente depois que é tarde demais e venhamos e convenhamos, um vizinho gentil, sorridente, confidente, disposto a ajudar a todo momento, capaz de fazer até a Anita esquecer dos problemas e se divertir de uma forma tão leve e ainda por cima bonitão e musculoso não é nada mal, como diz a própria Anita um tipo de Robert Pattinson na versão mais musculosa, incluindo a parte que ele possa ler pensamentos já que sabe perfeitamente do que ela precisa, sempre. 

E quando as coisas parecem finalmente estarem se ajeitando: Piiiiiiiii.... a internet começa a conectar e Nããããããão...... preciso saber.

"De Volta aos Quinze" é um livro envolvente, me fez tremer, pular, arrepiar, gargalhar, é mais um romance juvenil que eu adorei, eu posso ser adolescente pra sempre? Fisicamente não sou eu quem escolho, e só.  


Nenhum comentário:

Postar um comentário

.