15 outubro 2015

LIVROS: ÁGUA PARA ELEFANTES

Água para Elefantes é um livro triste, ele passeia entre o passado e o presente e ambos são tristes, não sei dizer qual é mais, se o passado de um jovem que sente o cheiro da morte mais vezes do que imaginamos ser possível, que sofre, que se apaixona e sofre mais ainda ou o presente de um velho de 93 anos em uma casa de repousos abandonado pela família e com tanta história para contar. 

Penso que pode ter sido após a escrita desse livro que proibiram a presença de animais em circos, como sofrem os coitadinhos, são abusados, mal alimentados e são acomodados de forma impiedosa. 

Claro que também tem a situação deplorável dos trabalhadores, que além de receber o mesmo tratamento dos animais citados acima o que fazer quando não querem mais o seus serviços? Jogá-los para fora do trem, como o lixo que não tem mais serventia, o que mais poderia ser feito? Conversar? renegociar? Dispensar? Daria muito trabalho para o endemoniado Tio Al. Pagamento? Com certeza não, são verdadeiros escravos, trabalham em troca de um prato de comida, as vezes boa, muitas vezes ruins, de vez em quando estragada, mas a outra opção era ser jogado ponte a baixo. 

Admiro a coragem de Marlena, claro que ela precisou do estimulo grandioso de um amor
verdadeiro e a certeza que alguém iria ampará-la, demorou, precisou que a primeira desgraça da vida de Jacob acontecesse, mas ele chegou, pulou no trem certo como um enviado de Deus, um trem certo para Jacob e um Jacob certo para o trem. 

É um livro para adultos, a leitura até que é fácil, simples de ler, precisei de uns quatro dias para encerrar, claro que a página amarelada e as letras grandes ajudaram a não cansar a vista e mesmo sabendo da desgraça que me esperava no final, por já ter assistido o filme, eu queria muito terminar e saber como as coisas aconteceriam ali, afinal, algumas coisas diferentes aconteceram, o filme até que foi bem fiel a história, pequenas mudanças, mas pude notá-las no livro. 

Digo que é um livro adulto pelo sofrimento que ele relata detalhadamente, a pancadaria, as dores, os abandonos, as doenças, as bebedeiras, as cenas de sexo e os palavrões. 

A Sara Gruen fez algumas pesquisas e se inspirou principalmente em dois elefantes que passaram por maus bocados na vida real, assim como a Rosie em nossa história, Sara visitou exposições, inclusive de circos citados no livro, ela tem uma boa escrita e seu objetivo é nos mostrar que "A vida é o maior espetáculo da Terra". 




Nenhum comentário:

Postar um comentário

.