06 novembro 2015

LIVROS: EM CHAMAS

Caramba! O segundo livro da trilogia Jogos Vorazes é incrível, envolvente, avassalador, quente... Em Chamas, o nome é perfeito e cabe certinho ao livro, o define muito bem. 

Demorou um pouco para ficar tão atraente, em nenhum momento ele chegou perto de ser
ruim, mas eu estava tão eufórica com o primeiro livro que ao começar o segundo sem nenhuma pausa deu uma murchada, entendem? É como voltar para a introdução quando você já estava nas considerações finais, foi perto do meio que a sensação de "não posso parar de ler por nada desse mundo" me pegou novamente. 

Penso que tudo que senti vontade de fazer contra a capital depois de ler Jogos Vorazes o Em Chamas pôde me proporcionar, é como se a Suzanne Collins entendesse a sede de vingança que ela causou, as coisas ainda não estão muito bem, mas estão ficando feia para o lado da Capital, antes os únicos que sofriam eram os distritos, agora a capital entrou para o bolo também, quem vai ganhar essa guerra? Já estou colada em "A ESPERANÇA" para saber e quero terminar a leitura a tempo de fazer uma sessão cinema e assistir todos os filmes antes de ir para as telonas ver o último que será lançado nesse mês. 

Tem bastante tempo até, já li muito mais nesse período, mas combinado com encerramento do último semestre da faculdade meus romances preferidos estão defasados na disputa, melhor terminar logo todos os trabalhos e ficar livre somente para eles, com exceção de "A Esperança", claro. 

Fiquei com a impressão que o Peeta é um mole, nas duas edições dos jogos precisou ser carregado e de cuidados especiais deixando a equipe em maus bocados, mas o poder dele é com as palavras, o que penso que vai ser muito importante de agora em diante nessa história, e continuo achando ele fofo, não importa o que aconteça sempre encontra uma brechina para demonstrar seu amor, um pouco escondido por trás das regras dos jogos, acredito que isso seja apenas para não assustar a Katniss que ainda está tão dividida, boba, o Gale é legal, mas o Peeta é demais. 

Muitas coisas acontecem, guerra, politicagem, poder, luta, mas aqui quem vos fala é uma romanticazinha besta que mesmo em meio essa história fascinante brilha o olhar com o romance que pode ser reconhecido aqui e ali entre uma morte e outra. 

Falando na Katniss, além de muito boba com essa questão do romance, determinação seria a palavra certa para defini-la, eita menina porreta que não sossega e faz sempre a coisa certa, na maioria das vezes penso que a sorte está ao seu lado, acontece tudo no improviso, mas ela sempre tem garra para sustentar. Admiro-a.


Nenhum comentário:

Postar um comentário

.