11 novembro 2015

LIVROS: A ESPERANÇA

Inacreditável! Surpreendente! Meu coração só faltou sair pela boca. Suzanne Collins soube direitinho como pregar uma peça. Primeiro comecei a desanimar com o livro, me fez ficar num misto de sentimentos já pensando que a história de Katniss, a garota quente, iria me decepcionar no final, só para depois ter o gostinho de me fazer sofrer um ataque cardíaco. 

Eu já estava me preparando para afogar as mágoas aqui pensando em como eu criticaria o fato dos distritos se rebelarem para no fim se tornar como a capital, apenas o reinado estava mudando, mas a filosofia de vida estava se mantendo a mesma, estava naquela de "dai-lhe o poder para conhecermos quem és", mas de repente: UAU, chorei de emoção, minha cama apanhou, dei pulos e gritinhos de surpresa. CARAMBA!

Continuei a leitura estupefata, emocionada, pasma. Triste por não ter romance então eu me obrigava a me lembrar que o romance não era o fato principal do livro, eu não estava lendo mais uma história juvenil e a autora já havia me dado muita emoção, mas nem isso ela deixou de lado, um fim digno de um suspiro: 
- Verdadeiro ou falso? 
- Verdadeiro. 
E o público vai a loucura. Eu vou a loucura. 
Para completar e saciar um pouquinho desse gosto de quero mais, um epílogo capaz de criar uma sensação de satisfação plena, uma sensação que posso parar de ler em paz, uma sensação de que o futuro existe e que vai ficar tudo bem, uma sensação digna de dizer adeus para Katniss Everdeen, Peeta Mellark, Gale Hawthorne, Haymitch Abernathy e todos os outros personagens que eu amei como se fossem reais, que ainda vou amar e vai diminuir com o tempo quando outras histórias surpreendentes surgirem, mas esquecer jamais.... Cinna... ah Cinna, quem vai desenhar meu vestido de formatura agora hein?  




Nenhum comentário:

Postar um comentário

.