30 dezembro 2015

O TEOREMA KATHERINE

E a última leitura do ano ficou por conta do GRANDIOSO, o SURPREENDENTE, o MAJESTOSO... JOHN GREEN, eu escolhi essa leitura porque eu não poderia terminar o ano sem ler um livro dele, o lado ruim da história é que ler retirou dele esse título, talvez fosse melhor eu não ter lido para continuar achando ele O CARA

Eu optei por "O Teorema Katherine" e achei a história bem confusa, enquanto leio gosto de imaginar os personagens, os lugares, cada cena e eu não conseguia fazer isso com esse livro, eu demorei para compreender quem era o Colin, no começo achava que ele era uma criança, depois cheguei a pensar que era uma criança com alguma deficiência mental, cheguei a desconfiar que as 19 K-A-T-H-E-R-I-N-E-S eram babas que não suportavam ficar com ele por muito tempo por ele ser uma criança terrivelmente peralta. Eu já estava la pela centésima página quando finalmente entendi que o Colin era um garoto de 17 anos e um adolescente normal, prodígio, mas normal. 

Estranhei o fato do livro ser escrito na terceira pessoa, eu gosto de sentir o personagem, saber o que estão pensando... e dá pra saber os pensamentos de alguém com uma terceira pessoa contando? Não, não dá. 

Sem contar o tanto de matemática, eu amo ler, mas detesto números e não tenho nenhuma intimidade com eles, todas as fórmulas e gráficos para mim não fizeram sentido nenhum, foi um livro que não que conquistou, eu não consegui me apaixonar pelos personagens, não por eles serem chatos ou algo do tipo, mas principalmente por que não consegui conhece-los o suficiente para que morassem no meu coração e despertassem ansiedade pela leitura. 

Suspirei de alívio quando no final o próprio Colin conta para a Lindsey, mesmo que brevemente, a história das 19 Katherines, consegui entender um pouco melhor como as coisas começaram a acontecer, o jogo de presente e passado na minha humilde opinião foram bem confusos. 

Se fosse para definir esse livro em uma única palavra seria: Estranho. 

A minha parte preferida de falar sobre livros é contar sobre os sentimentos que foram despertados em mim durante a leitura, gosto de pensar no suspiro final que normalmente me faz faltar o ar, mas dessa vez não foi assim que aconteceu, não consigo descrever os sentimentos porque eles simplesmente não aconteceram, mas já tenho mais dois livros do Jonh separados para ler no início de 2016 e quero muito mudar isso. 


É a história de Colin, o garoto prodígio, que sonha em ser gênio, ser importante para o mundo. Se apaixona facilmente, mas apenas se for por KATHERINES, esse é o seu fraco, por isso se aventura misturando matemática com amor, coisa de cientista, a necessidade de comprovar tudo através de fórmulas, porém... o destino é traiçoeiro... humanos são muito mais complexos que matemática. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

.