28 janeiro 2016

DE REPENTE, O AMOR

Uiiaaa... Finalmente essa garotinha aqui resolveu liberar um post de livro hehe
O que houve foi que depois da maratona literária 24 horas eu fiquei cansadinha e acabei dando um tempo, o que agora já estou bem arrependida, este é apenas o terceiro livro que leio esse mês já deixando de cumprir a meta de no mínimo cinco livros/mês já em Janeiro, embora o mês ainda não tenha acabado e o quarto livro já está na minha mesa de cabeceira.

De repente, o amor é o primeiro livro de uma série hot escrito por Susan Fox publicado pela editora Única.



É um dos livros que eu comprei no Submarino na Black Friday por apenas R$9,90 e mesmo sendo tão baratinho veio em excelente qualidade, com orelhas, folhas amarelas, letras em um tamanho ótimo, a formatação do livro no geral facilitou bem a leitura.




Romances quentes não são a minha leitura preferida, tanto que até hoje eu devo ser a única mulher no mundo que não leu 50 tons de cinza, porém quando comprei De repente, o amor eu e a minha mania de não ler sinopses para ser surpreendida pela história não sabia que se tratava desse tema, embora a capa denunciasse bastante, logo imaginei que teria alguma coisa do tipo, mas não imaginei que seria tão picante.

Achei extremamente interessante o formato do livro que intercala capítulos na terceira pessoa e na primeira pessoa contado por Kat, a personagem feminina principal. Foi uma forma incrível de viver a história vista de dois lados, me colocou dentro da história como eu gosto, sentir o ambiente, os personagens, saber quem são. A descrição dos lugares, pessoas e sentimentos são minuciosas, gosto muito disso.

Kat e Nav são vizinhos e a muito tempo ela o elegeu como o amigão, aquele cara pra contar tudo, pra fazer as tarefas de casa como trocar lâmpadas e concertar o encanamento, tudo, menos pra sexo. 

O que Kat não sabe é que Nav esconde um amor cheio de tesão por ela, e ele sofre muito com isso, adora estar com ela, receber seu carinho, assistir filmes bebendo vinho juntos, mas ele sofre com cada "bonitinho, meigo..." e todas as palavras que demonstram como Kat o considera. 

Logo no início da história, Kat recebe a notícia que sua irmã mais nova irá se casar, ela fica feliz pela irmã, porém com certa inveja, ela é mais velha e não consegue ter ninguém, Kat tem um gosto pitoresco para homens e seus relacionamentos nunca duram, no intervalo entre um término e outro é Nav quem a consola. 

Kat está com vergonha de aparecer para o casamento da irmã sem um namorado, sua família e cada uma de suas irmãs moram em cidades distantes e tem um relacionamento meio conturbado, hoje parecem se dar bem, mas muitas coisas já aconteceram. 

Então, adivinhem quem ela implorou para que se passasse por seu namorado? Isso mesmo, o amigão que é pau para toda obra, ela tem muito medo de voar então vai em uma viagem de trem que dura alguns dias, ele relutou, mas aceitou, com a condição que ele fosse de avião e a encontrasse no local. 

Porém Nav resolveu arriscar, os trens.... aaaah, os trens, tem uma magia diferente e tudo que acontece num trem, fica no trem, as conversas fluem e você fala mais intimamente já que você passa horas ao lado de uma pessoa que nunca mais irá ver, ou quase isso. Um estranho no trem pode ser instigante. 

Algo que me incomodou muito na história foi o poder materialista da Kat, para ela é como se uma pessoas só pudesse estar bem apresentável se usasse marcas, é como se primeiro ela se apaixonasse pela etiqueta na roupa e depois pela pessoa, por isso os relacionamentos dela eram tão superficiais e terminavam logo. 

Para mim, já está mais do que comprovado que bom gosto para se vestir não tem nada a vê com marcas, a aparência é sim importante, mas uma pessoa pode estar bem ou mal vestida independente de quanto pagou por aquela peça. 

E quem diria que em um livro tão sexy eu encontraria uma das mais lindas definições para o amor: 

É quando você vê a pessoa inteira, suas forças e fragilidades, e ama tudo. É alguém em que você pode confiar, mas que é sempre capaz de surpreendê-lo. É quando você olha para um rosto e sabe que é aquela pessoa que você quer ver toda noite, e toda manhã, pelo resto da sua vida. Com quem você quer ter filhos, passar pela experiência de criá-los, passar por tudo que a vida joga em sua direção, com as lágrimas e o riso e, acima de tudo, o amor. (Nav/Dhiraj, pag 272).
Não é como assistir um filme pornográfico, tem amor, histórias, fantasias, sentimentos e... sexo... ardente, quente... 

Eu definiria esse livro com uma mistura de romance e fantasias, um amor quente e sincero, quem não quer? 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

.