02 janeiro 2016

DEVE SER ISSO QUE CHAMAM DE RESSURREIÇÃO

Eu já comentei que piro legal quando ouço Capital Inicial, inclui eles no meu TOP 10 de bandas preferidas, e talvez eles possam liderar a lista. 

No primeiro dia do ano eu estava no carro e começou a tocar essa música: 

De coroa de espinhos, dormindo no volante
Uma vida gloriosa, um minuto irrelevante
Um ataque de bondade
Em várias cores e tamanhos
Dando balas e cigarros
E caronas a estranhos

Carros passam dizendo sim
O sinal gritando não
Deve ser isso que chamam de ressurreição
Hollywood dizendo sim
A televisão gritando não
Deve ser isso que chamam de ressurreição

Pregado numa cruz, dirigindo sem as mãos
Jogando fora o futuro
Sem motivo pra pedir perdão
Segunda feira, meio dia
Acabe antes que comece outra vez
Se desespere, ninguém está do seu lado
Dá tudo certo se fizer tudo errado

Das ruas acenam que sim
Das janelas gritam que não
Deve ser isso que chamam de ressurreição
Ouço o povo dizendo sim
Vejo a multidão gritando não
Deve ser isso que chamam de ressurreição
Que chamam de ressurreição

Ouço o povo dizendo sim
A televisão gritando não
Deve ser isso que chamam de ressurreição
A cidade acha que sim
A nação acha que não
Deve ser isso que chamam de ressurreição

Primeiro eu comecei a refletir sobre a letra: Um cara dirigindo se achando o dono do mundo, não precisa respeitar as leis, pois está acima delas, o sinal está vermelho gritando para ele não seguir em frente, mas ele grita que sim e passa mesmo assim, ele poderia ter morrido ou matado, mas isso não aconteceu: "deve ser isso que chamam de ressurreição", merecendo ou não, ele teve uma segunda chance e talvez muitas outras. 


Mas depois eu fiquei pensando nos autores da música, no poder de visão que eles têm, para alguns apenas transito, para eles tudo isso, morte, vida, tempo, chances... É como olhar e ver além, cada objeto é mais que isso, basta sentir.




Nenhum comentário:

Postar um comentário

.