07 março 2016

CONVERGENTE

PARALISADA!!!!

Foi assim que eu fiquei ao fechar pela última vez o livro Convergente

CONVERGENTE é o terceiro livro da trilogia Divergente escrito pela Veronica Roth em 502 páginas, mais um epílogo e mais os agradecimentos, totalizando 526 páginas, publicado no Brasil pela editora ROCCO.

Eu simplesmente não pude acreditar nas palavras que li, o livro todo tomou conta de mim, dessa vez sim, senti sede de leitura, de saber o que estava acontecendo, ansiedade, medo, mas a partir do capítulo 49 eu perdi o controle, eu chorava em meio aos soluços, a vista embaçava e eu não conseguia ler e eu sentia raiva porque precisava saber. 

Até a última letra eu tinha esperança de um milagre, mas que não aconteceu, então ao fechar o livro fiquei paralisada literalmente, precisava refletir, pensar muito para decidir se eu amava ou odiava o livro, foi por isso que acabei no sábado e só agora consegui vir aqui falar dele, mesmo ainda estando meio anestesiada, minha intenção nunca foi trazer resumos do livro, isso vocês encontram em muitos lugares e quem já leu, isso não interessa, minha intenção é falar sobre o que eu senti, o que eu achei, se recomendo ou não a leitura. 

Quando saí do estado paralítico, passei por várias outras fases: 

NEGAÇÃO: Isso não pode ter acontecido. 
RAIVA: A Veronica só pode ter brigado com o marido quando escreveu isso.
TRISTEZA: Eu não posso conviver com isso. 
ACEITAÇÃO: Não é o ideal, mas eu não posso mudar. 

Quando comecei a leitura da trilogia eu queria me preparar para o filme que será lançado agora dia 10 de março, mas por enquanto ainda estou pegando os cacos do meu coração e decidindo se irei ou não, mesmo sabendo que o capítulo 49 só vai ser abordado ano que vem, na parte 2 do filme. 

É uma história de superação, de coragem, heroísmo e sacrifício, isso me faz entender porque as coisas aconteceram assim, senti falta de mais romance, embora o amor da Tris e do Quatro tenha se mostrado inquestionável, eles passaram mais da metade da história brigados, pouquíssimas vezes puderam desfrutar de suas paixões, tudo bem, se depois da guerra viesse a calmaria. 

Eu recomendo a leitura sim, mas esteja preparado, todo mundo tem direito de experimentar esse sentimento, de se apaixonar e de perder, acho incrível essa magia de gostar tanto de pessoas que só existem nos mundos dentro das capas do livro, é fascinante, torcer, admirar, vibrar com as conquistas, será que seria assim na via real se conhecêssemos as pessoas ao nosso redor como conhecemos os personagens de um livro?  




Nenhum comentário:

Postar um comentário

.