03 abril 2016

SAGA ENCANTADAS - PODER

Nos últimos dias de março minha vida ficou meio bagunçada em meios de formatura, aniversário, páscoa e graças a Deus, meu novo trabalho. 

Mas, mesmo assim consegui terminar a leitura do sexto livro do mês, o terceiro livro da saga Encantadas: PODER



Escrito pela Sarah Pinborough e traduzido por Edmundo Barreiros em 206 páginas, mais epílogo, agradecimentos e uma entrevista com a Sara, publicado pela editora Única com uma formatação super simples e fácil, as páginas brancas dificultam um pouco, mas as letras são grandes, espaçamento super ok, além de ser ilustrado em alguns momentos, tudo isso facilita conseguirmos ler por mais tempo sem provocar uma dor de cabeça




Deveria ser a história da Bela adormecida na versão para adultos onde conta-se que "ninguém desperta o mal impunemente", mas várias outras princesas conhecidas são citadas na história onde deixa-nos uma ideia de como as coisas realmente aconteceram nas outras histórias também, mas a personagem principal é a Bela, talvez a Fera, ou as duas, nas duas. 

Talvez foi o príncipe mimado em busca de aventura que despertou Bela do seu sono eterno ou talvez foi o caçador 'babá' do príncipe mimado que ficou mais preocupado com o ferimento que escorria sangue em seu dedo ao invés de ficar vidrado em sua beleza que fez um curativo e sessou o sangue.

Mas já pararam pra pensar que isso tudo poderia ter um propósito? Mais uma vez a Sara trouxe a ideia que nem toda bruxa é só má e nem toda princesa é todo amor, a ideia outra vez é falar que todo mundo tem um lado princesa, um lado bruxa, um lado príncipe... Algumas vezes fazemos coisas desagradáveis, que na verdade não queremos fazer, mas temos porque a situação obriga-nos, certo? certo. 

Então e se alguém com o coração partido teve que furar o dedo da princesa para salvar todo o reino de uma maldição? caramba, se foi isso então o príncipe jogou tudo por água a baixo. 

Novamente cenas quentes apareceram, bem mais sutis que no anterior, onde contou-se a verdadeira história da Cinderela, mas apareceram sim, a princesinha aqui tinha uns fetiches muito estranhos principalmente quando os dias escuros chegavam.  

Se tem uma coisa que eu aprendi lendo esses livros é que amor verdadeiro é muito mais bonito, importante e puro do que amor encantado, mesmo que a magia seja boa é péssimo viver preso dentro de uma. 


Nenhum comentário:

Postar um comentário

.